O presente plano de contingência em vigor no Instituto Superior Miguel Torga, aprovado pela Comissão de Gestão, está alinhado com as principais orientações nacionais na matéria e define as principais etapas e procedimentos a adotar perante um(a) docente, funcionário(a), aluno(a), ou elemento externo à comunidade académica com sintomas de infeção pelo COVID-19.

Como se transmite a COVID-19?

Considera-se que a COVID-19 pode transmitir-se, nomeadamente, pelas seguintes formas:

− Por gotículas respiratórias (partículas superiores a 5 micras)

− Pelo contacto direto com secreções infeciosas.

A transmissão pode ocorrer durante uma exposição próxima a pessoa com COVID-19, através da disseminação de gotículas respiratórias produzidas quando uma pessoa infetada tosse, espirra ou fala, as quais podem ser inaladas ou pousar na boca, nariz ou olhos de pessoas que estão próximas. O contacto das mãos com uma superfície ou objeto com o novo coronavírus e, em seguida, o contacto com as mucosas oral, nasal ou ocular (boca, nariz ou olhos), pode conduzir à transmissão da infeção.

O que fazer numa situação em que existe um elemento suspeito de infeção por COVID-19 nas instalações do ISMT?

1. Em primeiro lugar, deverá ser realizado um contacto (telefónico ou presencial) com o(a) funcionário(a) no ISMT que foi escolhido(a) para tratar desta situação:

– Funcionária: Cristina Fernandes (edifício da Rua Augusta, n.º 46)

– Contactos telefónicos: 239 483 055 / 239 482 659

2. A funcionária indicada, devidamente protegida (com luvas e máscara), deverá deslocar-se até ao local onde se encontra o elemento suspeito, disponibilizando-lhe os meios de proteção necessários (luvas e máscara).

3. De seguida, a funcionária acompanhará o elemento suspeito até ao espaço de isolamento definido, que se situa no edifício da Rua Bernardo de Albuquerque, n.º 6, R/C, e que é constituído por uma sala (sala de reuniões grande) e por um WC.

Esta área de isolamento tem como finalidade evitar ou restringir o contacto direto com casos suspeitos.

A área de isolamento deve ter:

. ventilação natural, ou sistema de ventilação mecânica;
. revestimentos lisos e laváveis (ex. não deve possuir tapetes, alcatifa ou cortinados);
. telefone ou telemóvel (no caso de o próprio não ter o seu consigo);
. cadeira ou marquesa;
. água e alguns alimentos não perecíveis;
. contentor de resíduos (com abertura não manual e saco de plástico);
. SABA (disponível no interior e à entrada desta área);
. toalhetes de papel;
. máscaras cirúrgicas;
. luvas descartáveis;
. termómetro.

4. De seguida deverá ser realizado contacto com a linha SNS24 (808 24 24 24) e seguir as instruções indicadas.

5. Se o caso for validado como tendo critérios de caso suspeito pela Linha SNS24, será encaminhado ao hospital.

6. Se o caso não for validado pela Linha SNS24 devem ser aplicados os procedimentos habituais de limpeza e desinfeção na área de isolamento.

Medidas básicas de higiene recomendadas:

– Lavar frequentemente as mãos, com água e sabonete líquido/sabão, esfregando-as bem durante pelo menos 20 segundos;
– Reforçar a lavagem das mãos antes e após o contacto com alimentos, após o uso das instalações sanitárias, e após o contacto com superfícies em locais públicos (maçanetas das portas, botões de elevador, transportes públicos, etc.);
– Usar lenços de papel (de utilização única) para se assoar;
– Tossir ou espirrar para um lenço (de utilização única), ou para o braço, com o cotovelo fletido, e não para as mãos;
– Evitar tocar nos olhos, no nariz e na boca;
– Promover o distanciamento social:
Evitar cumprimentos com contacto físico.

Medidas de higiene ambiental:

Além das medidas de higiene já implementadas no ISMT, nomeadamente reforço de sabão nos WCs e distribuição de loção antissética de base alcoólica nos vários espaços do ISMT, será ainda reforçada a limpeza diária de salas e outros espaços comuns e WCs.

06/03/2020

Share This
Pedido de Informações
808 20 80 30
Candidatura online